ATIVIDADES

Black Mirror e os sintomas do mal-estar contemporâneo

35
A partir de 16 anos

A série britânica de ficção científica Black Mirror tem se consolidado como uma das distopias mais perturbadoras da atualidade. Isso porque exige dos expectadores um exercício não mais do que discreto de imaginação que apenas potencializa tendências tecnológicas, políticas e sociais já estabelecidas, em maior ou menor grau, no mundo. Guiado pelos episódios da série, "Black Mirror e os sintomas do mal-estar contemporâneo" é um passeio por algumas dessas tendências: a hiperconectividade, a desregulamentação, o autoritarismo, o espetáculo e o narcisismo. Incluem-se nesse debate reflexões acerca das redes sociais, das democracias modernas e das fronteiras entre o público e o privado.

Murilo Cleto

Murilo Cleto é historiador, especialista em História Cultural e mestre em Cultura e Sociedade.