OFICINEIRO

Carlos Primati

Carlos Primati

Jornalista, crítico, tradutor, historiador e pesquisador dedicado a tudo que se refere ao cinema de horror mundial. Publicou artigos em livros sobre a obra do cineasta José Mojica Marins, sobre o Horror no Cinema Brasileiro e sobre o cineasta Carlos Hugo Christensen, firmando parceria com a Heco Produções em mostras dedicadas à produção nacional no gênero. Escreveu sobre a carreira nos filmes de horror da atriz Débora Munhyz para o livro Do Terror ao Amor, de Rafael Spaca, e sobre Carlo Mossy para a mostra Curta Circuito de 2017. Também escreveu ensaios para catálogos das mostras de George A. Romero e Rock Terror, da atriz Ruth de Souza e para o centenário de Kirk Douglas.

OFICINA

Horror no Cinema Brasileiro

A partir de 16 anos
50 vagas

A proposta da oficina é apresentar um panorama do horror no cinema brasileiro, demonstrando como o gênero sempre esteve presente em nossa cultura audiovisual e como ele se transformou e se adaptou à nossa realidade conforme a época e dentro do estilo cinematográfico que era feito. O método aplicado para a oficina é a discussão do tema proposto dentro do contexto crítico e histórico, com apresentação de trechos de filmes, trailers e documentários.